Música + poesia + dança = Engenhoca!

Não seria legal reunir em um evento várias manisfestações artísticas, de diferentes tipos e gêneros em um só lugar, em um só momento? Imagine um espaço em que músicos, poetas e outros artistas das mais variadas vertentes pudessem expor seus trabalhos e trocar experiências. Essas mesmas ideias passaram pela direção do Sesc (Serviço Social do Comércio) de Engenho de Dentro, na zona Norte do Rio, há mais de dois anos, quando resolveram criar o Engenhoca: um evento mensal, que reúne bandas underground, poetas independentes e até companhias de dança, um tipo de arte ainda pouco difundida, se comparada às milhões de bandas de garagem que pipocam toda semana por toda a cidade.

Como projeto, o Engenhoca já existe há algum tempo, inspirado inclusive em eventos mais antigos, como o Geringonça, do Sesc Tijuca, concebido pela equipe do Sesc pra funcionar como uma janela pra novos talentos. Mas o evento engrenou mesmo quando o frontman/guitarrista/cantor/apresentador Wagner José decidiu apresentar o projeto Novo Bando à equipe. A ideia de um projeto audiovisual surgiu para dar suporte à sobrevivência de sua banda Wagner José e Seu Bando que leva um som que ele admite não estar na “crista da onda”: um pouco dos “bons e caquéticos Rock & Blues”, como se definem no MySpace. “O Novo Bando era um projeto de TV, algo como um programa de auditório. O Sesc gostou da ideia e eles me chamaram pra tocar o barco do Engenhoca, acharam que eu tinha o perfil da coisa”, conta Wagner. Hoje, o programa Novo Bando tem espaço no canal 6 da NET, que deve exibir, inclusive, a entrevista feita pra essa matéria, enquanto rolava música no palco do Sesc.

Num cenário em que eventos de bandas covers se proliferam e lotam clubes, o Engenhoca se destaca por valorizar o trabalho autoral das bandas, geralmente deixado na gaveta para abrir espaço no repertório pras canções consagradas, aquelas que costumam animar mais o público. Apesar de exigir dedicação e tempo pra elaborar os eventos, que acontecem todo último sábado do mês, estar à frente do Engenhoca não impede Wagner José de continuar a tocar Seu Bando, pelo contrário. “Pra mim, isso é muito bacana, porque além de ter a minha banda, também faço esse papel de agente divulgador de novas bandas. Isso só engrandece meu trabalho, as pessoas acabam associando minha imagem ao evento”, conta Wagner.

Sábado: dia de Engenhoca

No último sábado, 28, rolou Engenhoca lá no Sesc e o Guarda-Chuva estava lá, claro. A maioria das apresentações, talvez até refletindo o cenário cultural do underground carioca, era de bandas de rock, mas o desavisado que estivesse por lá ia se surpreender ao ver a banda XL ser sucedida pelo grupo de dança Reflexos, não sem antes abrir o espaço pro jovem poeta Vinícius. O show, liderado pela vocalista Gisele (sacaram a jogadinha dos nomes da banda e da vocal?), deu certo e envolveu o público que, apesar de sentado, interagia com a galera no palco. A única surpresa foram as músicas em inglês, não custava nada dar um valorzinho à nossa língua natal. Salvaram as linhas de bateria e a harmonia no povo das cordas, que mandaram muito bem.

No final do show, o lado animador de TV de Wagner José se permitiu uma minientrevista com Gisele, ainda no palco, que falou das músicas próprias, do seu projeto da rádio online e de seu estúdio, instalado num inusitado trailer.

Enquanto o pessoal da XL guardava os equipamentos, era a vez do poeta Vinícius se expressar. “Certeza” era o tema da poesia. Antes de começar ele pede: “seria legal ter a atenção de vocês pra ouvir essa obra...”, mas completa: “ou não, vocês que sabem”. O público parece escolher a segunda opção, mas de qualquer forma, a apresentação de poucos minutos é registrada pela câmera do Novo Bando, que não perde nada.

Era hora de dançar. O espaço dado ao grupo Reflexos foi o mesmo das bandas, cerca de meia hora. O grupo dançava ritmos brasileiros, terminando ao som do clássico “Suíte dos Pescadores”, de Doryval Caymmi. Relaxante, uma sensação de contraste com o som meio pós-grunge da XL. Os aplausos foram os mesmos.

Vale a pena abrir o guarda-chuva para: Wagner José e Seu Bando

1 comentários:

mr.dias disse...

Salve Salve,
Vi a matéria sobre a matéria do Engenhoca no O Novo Bando deste domingo. Com isso fiquei sabendo a existência do guarda-chuva.

Sendo assim, passarei a acompanhar o blog para saber das novidades.
Abraço,
Márcio
http://www.profusaosonora.com

Postar um comentário