Topa conhecer o Buraco?

Na minha terra, todo primeiro sábado do mês é dia de Buraco. Mas calma aí! Não é qualquer buraco não. Estou falando é do Buraco do Getúlio, cineclube que acontece mensalmente no Espaço Cultural Sylvio Monteiro, aqui em Nova Iguaçu, RJ. Sim, porque não temos Multiplex, mas temos Cineclube, o que é muito melhor! E o Buraco, como é carinhosamente chamado pelos freqüentadores (levando a piadinhas de duplo sentido), não é apenas um encontro voltado puramente para a exibição de filmes. Lá, acontecem as mais variadas intervenções artísticas. Além de cinema, tem teatro, música e poesia. O Buraco agrada sempre a todos os gostos.

Diego Bion, um dos fundadores do cineclube, conta que a idéia de criar o Buraco surgiu numa noite de bebedeira. Ele e uns amigos, já “mais pra lá do que pra cá”, estavam sentados na calçada diante de um bar quando tiveram a miragem e decidiram montar ali mesmo um espaço para a exibição de filmes. Nascia, assim, o Buraco do Getúlio.

− Como nós já produzíamos vídeos, pensamos em montar um cineclube, já que era algo que não existia aqui em Nova Iguaçu. A proposta era criar uma janela de exibição de filmes na cidade. No Brasil, produzimos muitos filmes, mas poucos chegam às salas de cinema. Portanto, talvez esse circuito de cineclube represente uma boa alternativa nesse sentido − destaca o dono do Buraco.

A primeira sessão aconteceu logo uma semana depois, no dia 04 de julho de 2006 (isso, isso, sábado que vem, ele comemora três anos de vida!), no Anania's Bar, também em Nova Iguaçu. Cada um trouxe uma coisa. Filmes, equipamento de som de segunda mão que o pai usava na DÉCADA DE 80 (mega guerreiro!!), e assim por diante. De qualquer forma, já a primeira sessão bombou mostrando que a coisa daria certo. O Buraco foi, então, crescendo e, em 2008, no aniversário de dois anos, mudou-se para o Espaço Cultural Sylvio Monteiro. Hoje, as sessões atraem uma média de 120 pessoas.

− De cara, a proposta do Buraco do Getúlio foi não ser um cineclube onde acontecesse apenas o cinema, mas sim ter o cinema como pretexto para trazer pessoas de outras linguagens. Nossa visão é tentar promover encontros. Por isso, trazemos uma galera de teatro, outra de circo, além de poetas e música − conta Bion, que também é professor na Escola Livre de Cinema de Nova Iguaçu.

Diferentemente do que a maioria imagina, o nome do cineclube vem de outro Getúlio que não é o Vargas, mas sim o Getúlio de Moura, engenheiro responsável pela expansão ferroviária na Baixada Fluminense. De acordo com Bion, “Buraco do Getúlio” é a forma carinhosa como as pessoas chamam a passagem sob a linha do trem que fica em frente à rua do Anania's Bar. O que o pessoal do Buraco fez foi aproveitar algo que já estava no inconsciente coletivo. Além disso, essa era uma forma de fazer ligação com a origem iguaçuana do cineclube.

"Getúlios" à parte, com quase, quase três anos de vida, o cineclube tornou-se super conhecido em Nova Iguaçu. Todo mês uma galerinha se reúne no Espaço Cultural para curtir curtas-metragens, intercalados por intervenções artísticas. Pode ser banda de rock, grafite ou performance poética. O Buraco do Getúlio é encontro. Começa às 8 horas da noite e vai até Deus sabe lá quando. Porque é tão bom que ninguém quer mais sair do Buraco.

Cineclube Buraco do Getúlio

Filiado a ASCINE-RJ (Associação de Cineclubes do Rio de Janeiro) e ao CNC (Conselho Nacional de Cineclubes), o cineclube Buraco do Getúlio é promovido pelo Núcleo de Arte e Criatividade - Laboratório Cítrico, associação cultural sediada em Nova Iguaçu - RJ, que se propõe a fomentar projetos de arte, cultura e educação. Acontece todo primeiro sábado do mês no Espaço Cultural Sylvio Monteiro, que fica na Rua Getúlio Vargas, 51, Centro, Nova Iguaçu.

2 comentários:

Anônimo disse...

Excelente Blog. Reportagens excepcionais. Senti-me impelido a conhecer o cineclube "Buraco do Getúlio" hahaha. Parabéns a toda equipe pelo trabalho!

Luana disse...

Vida longa ao Buraco!!!

Blog do Cineclube Buraco do Getúlio:
www.cinema-laranja.blogspot.com

Postar um comentário